O Poder da Palavra

 

Existe um provérbio popular bastante conhecido que diz: “ Palavra dita e pancada dada nem Deus a tira”. Refletindo sobre o assunto percebemos que a palavra emite uma ação determinante; apontando uma direção, um estado; um juízo de valor; é encontrado na palavra o poder de cura, de auto estima; de confiança. Uma palavra pronunciada é de maior ou igual valor a uma sentença proferida, não havendo mais recursos que protele sua imediata execução. A sentença possui tempo, e é limitada as circunstancias que a confere; ao contrario a intensidade da palavra não possui tempo determinado.

A importância de que ela se reveste, ou melhor, que ela assume na vida, evidencia-se em múltiplas formas, e quanto mais respeitável é a posição do que fala, tanto mais confiança inspira sua palavra. Se não sofrer modificação alguma, se manterá como elemento de juízo para prestigiar o conceito de quem a pronuncia.

Quando a palavra é pronunciada para manifestar uma convicção, definir uma atividade ou uma situação, ou expressar um sentimento, e leva em si o sadio propósito de oferecer aos demais a oportunidade de conhecer o pensamento que a anima, tende sempre a superar o conceito de quem a emite.

Outra coisa acontece com aquela que é pronunciada com a intenção de enganar ou que surge sem reflexão, num impulso fugaz, porquanto costuma afetar ou ferir os que a ouvem, ainda que nada tenham a ver com ela. O só fato de escutá-la lhes causa mal-estar, contribuindo, conseqüentemente, para que se elabore um juízo adverso a respeito de quem a expressou.

Quem pensa bem se esforça em falar melhor. Será benéfico, então, aprender a sincronizar os movimentos da mente com a expressão oral, de modo que a palavra seja a condutora fiel do pensamento. Isso fará com que a palavra se revista de interesse, contrariamente ao que ocorre quando se fala sem pensar no que é dito, pois, nesse caso, a palavra costuma parecer vazia ou sem sentido.

Em síntese, a palavra é um dos elementos com que o homem pode conquistar sua felicidade ou causar seu infortúnio, segundo sejam as manifestações de seu próprio espírito.

 

2 Responses to “O Poder da Palavra”

  1. cesar braga Says:

    Prezado Julinho
    Seu e-mail retornou a mensagem, porisso enviei-a por este espaço.
    Pois bem, estava passeando pela net, quando encontrei o seu blog, que por sinal parabenizo-o pelo conteúdo e após navegar também pela sua opção de qualidade de vida. Remontei-me a boas lembranças do passado e DA convivencia que tivemos, inclusive quando esteve no AR o programa Radio Fly, que na época patrocinavamos com o Rhapsody, lembra-se? Pois bem foi uma boa epoca de convivencia e de amizade que tivemos e que ficou cravada em nossa memória.
    De lá para cá, nossa vida também mudou bastante! Nosso comandante Braga nos deixou e estamos levando adiante o seu legado, mas assim como voce e na medida do possível, buscando uma melhor qualidade de vida.
    Robson e eu hoje temos a nossa família e trabalhamos em um novo espaço Boulevard Eventos (www.boulevardeventos.com.Br).
    Contudo, não abrimos mão de nossa história e nossas raizes e mantemos o bom e velho Rhapsody (www.rhapsody.com.Br) , com festas revival e na participação que temos semanalmente na rádio Energia 97fm.
    Diga-se de passagem que não vivo do passado, mas analisando e acompanhando a cena DA musica atual, cada vez mais valorizo a época boa DA musica que vivemos. Fico um pouco triste ao ver oportunistas de momento que não representam a cena, lograrem êxito com ela, mas me conformo, afinal isso faz parte DA passagem terra.
    Finalmente, desejo encontra-lo neste e-mail sobretudo gozando de uma Grande saúde e como admirador que também sou de seu trabalho, quem sabe mantermos uma nova sintonia e até novos projetos.
    Um Grande abraço a você e sua família
    Boas Vibrações!
    Cesar Braga
    rhapsody@rhapsody.com.br
    boulevard@boulevardeventos.com.br

  2. Mauricio Silveira Says:

    Saudações Comandante!

    Eu conheço outra frase muita parecida com a que comentou, e é, “A palavra proferida e a pedra depois de atirada, não tem mais volta”.

    Ambas são parecidíssimas e muito verdadeiras.

    Chegando próximo de completar os meus 40 anos agora em dezembro, esta é uma das lições que a vida me ensinou, e por este motivo antes de falar qualquer coisa, sempre me coloco no lugar da pessoa e imagino se eu gostaria de ouvir aquilo que vou dizer.

    Quando escrevo, seja em qual idioma for, sempre leio, releio no mínimo 5 x o que escrevi para ver se estou sendo claro, se não estou ofendendo a pessoa, e já utilizei algumas vezes a mágica tecla “backspace” e não me arrependo.

    Pra terminar, como disse no final do texto, da nossa palavra depende a nossa felicidade ou a nossa tristeza ou de outros também.

    Grande abraço, fica com Deus e ótima semana pra ti meu brother.

    Mauricio Silveira (DJ Mau)

Leave a Reply