Archive for April, 2010

Energia Via Lixo

Saturday, April 24th, 2010

 

Poucas pessoas sabem, mas o lixo produzido pelos centros urbanos pode se tornar energia. Isso seria uma solução duplamente ecológica, já que resolveria o problema do lixo (que se acumula em lixões e aterros, representando risco para a saúde e para o ambiente) e geraria uma fonte de energia limpa.

A energia elétrica via lixo pode ser obtida de duas formas: pela incineração ou pela compostagem. No processo de incineração, a energia é gerada através da queima completa dos resíduos secos (como madeira, papel, etc.). Esse processo produz monóxido de carbono (CO), que apresenta poder calorífico, isto é, pode ser queimado para gerar energia.

Já no processo de compostagem é feita a fermentação anaeróbica (decomposição da matéria orgânica, como restos de alimentos) do lixo por microorganismos, gerando um conjunto de gases denominado biogás. A fermentação é geralmente feita em biodigestores, ou em aterros sanitários munidos de sistema de dutos de coleta do biogás. O biogás possui entre 50% e 70% de metano (CH4), que tem poder calorífico.

As vantagens dessa técnica não são apenas ecológicas, mas também sociais e econômicas. Com a transformação do lixo em energia, os riscos à saúde humana – causados pelos lixões e aterros, pelos gases poluentes que produzem e pela poluição em geral – diminuiriam significativamente. Além disso, haveria a geração de empregos nos postos de coletas, nos postos de reciclagem e nas usinas, e o fornecimento de uma energia mais barata.

Economicamente falando, além dos cortes de gastos que a técnica traria, o aproveitamento de resíduos é considerado uma alternativa viável para substituir combustíveis fósseis (petróleo, carvão e gás), sendo uma boa opção para a redução da emissão de gases poluentes que provocam o efeito estufa. Com a venda de créditos de carbono, o Brasil poderia vir a arrecadar cerca de U$100 milhões por ano com essa alternativa, de acordo com pesquisadores do Instituto Virtual Internacional de Mudanças Climáticas (IVIG).

Nos países europeus, nos Estados Unidos e no Japão, gerar energia a partir do lixo é uma realidade desde os anos 1980. Esses países processam 130 milhões de toneladas de lixo, gerando energia elétrica e térmica em 650 instalações. Somente a União Européia extrai mais de 10 mil MW de cerca de 60 milhões de toneladas de lixo por ano em 400 usinas, que são capazes de produzir eletricidade para atender 27 milhões de pessoas (o equivalente a soma da população da Dinamarca, da Finlândia e da Holanda).

Calcula-se que esse mercado movimente cerca de 9 milhões de euros nos 15 principais países da União Européia. Na América do Norte, existem hoje mais de 1.700 usinas de geração elétrica em funcionamento, aplicando cerca de 100 tecnologias diferentes.

Contudo, o potencial brasileiro para transformar lixo em energia permanece subutilizado – quase nada dos resíduos brasileiros é utilizado para gerar energia. São poucas as iniciativas no país que utilizam essa fonte de energia. Bons exemplos aqui são os aterros sanitários Novagerar, em Nova Iguaçu (zona metropolitana do Rio de Janeiro), Bandeirantes e São João, em São Paulo, que utilizam o gás metano resultante da decomposição natural da matéria orgânica para gerar energia.

O aterro Novagerar foi o primeiro do mundo a vender créditos pelo Mecanismo de Desenvolvimento Limpo (MDL), do Protocolo de Kyoto. A energia gerada no Bandeirantes (20 MW ou 160 mil casas) é usada pelo Unibanco e a do São João (24.8 MW ou 198,4 mil casas) é vendida para grandes consumidores, como shopping centers.

 

O Dia da Terra

Thursday, April 22nd, 2010

 

O Dia da Terra foi criado em 1970 quando o Senador norte-americano Gaylord Nelson convocou o primeiro protesto nacionalcontra a poluição. É festejado em 22 de abril e a partir de 1990, outros países passaram a celebrar a data.

Sabe-se que a Terra tem em torno de 4,5 bilhões de anos e existem várias teorias para o “nascimento” do planeta. A Terra é o terceiro planeta do Sistema Solar, tendo a Lua como seu único satélite natural. A Terra tem 510,3 milhões de km2 de área total, sendo que aproximadamente 97% é composto por água (1,59 bilhões de km3). A quantidade de água salgada é 30 vezes a de água doce, e 50% da água doce do planeta está situada no subsolo.

A atmosfera terrestre vai até cerca de 1.000 km de altura, sendo composta basicamente de nitrogênio, oxigênio, argônio e outros gases.

Há 400 milhões de anos a Pangéia reunia todas as terras num único continente. Com o movimento lento das placas tectônicas (blocos em que a crosta terrestre está dividida), 225 milhões de anos atrás a Pangéia partiu-se no sentido leste-oeste, formando a Laurásia ao norte e Godwana ao sul e somente há 60 milhões de anos a Terra assumiu a conformação e posição atual dos continentes.

O relevo da Terra é influenciado pela ação de vários agentes (vulcanismo), abalos sísmicos, ventos, chuvas, marés, ação do homem) que são responsáveis pela sua formação, desgaste e modelagem. O ponto mais alto da Terra é o Everest no Nepal/ China com aproximadamente 8.848 metros acima do nível do mar. A Terra já passou por pelo menos 3 grandes períodos glaciais e outros pequenos.

A reconstituição da vida na Terra foi conseguida através de fósseis, os mais antigos que conhecemos datam de 3,5 bilhões de anos e constituem em diversos tipos de pequenas células, relativamente simples. As primeiras etapas da evolução da vida ocorreram em uma atmosfera anaeróbia (sem oxigênio).

As teorias da origem da vida na Terra, são muitas, mas algumas evidências não podem ser esquecidas. As moléculas primitivas, encontradas na atmosfera, compõe aproximadamente 98% da matéria encontrada nos organismos de hoje. O gás oxigênio só foi formado depois que os organismos fotossintetizantes começaram suas atividades. As moléculas primitivas se agregam para formar moléculas mais complexas.

A evidência disso é que as mitocôndrias celulares possuam DNA próprio. Cada estrutura era capaz de se satisfazer suas necessidades energéticas, utilizando compostos disponíveis. Com este aumento de complexidade, elas adquiriram capacidade de crescer, de se reproduzir e de passar suas características para as gerações subseqüentes.

A população humana atual da Terra é de aproximadamente 6 bilhões de pessoas e a expectativa de vida é em média de 65 anos.

Para mantermos o equlíbrio do planeta é preciso consciência dessa importância, a começar pelas crianças. Não se pode acabar com os recursos naturais, essenciais para a vida humana, pois não haverá como repô-los. O pensamento deve ser global, mas a ação local, como é tratado na Agenda 21.

 

Lanterna Ecológica

Tuesday, April 20th, 2010

 

z_bunbun_ecolight

 

A lanterna é um dos itens indispensáveis para quem acampa. O problema é quando a pilha acaba. Se tiver em mãos uma pilha reserva ou um carregador solar portátil, tudo bem, mas e se não tiver? Fica no escuro, claro.

Para eliminar essa dependência química dos metais pesados de pilhas e baterias, a empresa japonesa BunBun criou a lanterna Eco Light. Esta lanterna fornece uma boa luminosidade através de três LEDs e só depende de força mecânica para funcionar. Isso mesmo, basta puxar a parte da frente da lanterna e girar ela no ar por aproximadamente 30 segundos para não ficar no escuro, como vê na imagem ao lado.

A lanterna de corpo emborrachado e disponível em quatro cores chega ao mercado mundial até o fim deste mês, custando cerca de US$22,00.

Há algum tempo estão surgindo ferramentas interessantes e ecológicas para quem gosta de acampar, tudo começou pelos carregadores solares portáteis, logo após surgiu uma barraca com teto que capta energia solar e agora esta lanterna. Em breve os fogareiros a gás estarão com os dias contados, já que existem projetos em desenvolvimento de fogareiros movidos a energia solar. Vamos aguardar.

 

A Sacola Plástica

Saturday, April 17th, 2010

 

Trata-se de um belo curta metragem chamado Plastic Bag, do diretor americano Ramim Bahrani. Em cerca de 18 minutos este curta mostra a jornada de uma sacola plástica, desde o momento que é adquirida pela sua dona em um supermercado, mostrando o seu descarte, a passagem por lixões, sendo assoprada pelos ventos por estradas, florestas, ruas, rios até chegar às praias e finalmente nos oceanos, formando a conhecida “Sopa Plástica do Oceano”.

O apelo triste e poético deste filme deixa à mostra a solidão vivida pela sacola plástica, que durante a história se pergunta onde está a sua dona e o que teria acontecido com ela. Nossa personagem termina no fundo do oceano, sem saber a quanto tempo está rodando pelo mundo e se a dona ainda está viva, mas se ela tivesse como voltar diria apenas uma coisa para a sua dona: “I wish you had created me so that I could die” – Eu queria que você tivesse me criado para que eu pudesse morrer.

A mensagem final da sacolinha plástica é um soco no estômago, que nos abre um espaço para pensar sobre nossas criações, feitas para durar mais do que nós mesmos.

 

 

Lixo Mundial

Saturday, April 17th, 2010

 

Mais de 10 milhões de peças de lixo foram colhidas das correntes marítimas do mundo em um único dia, divulgou  o grupo Conservação Oceânica.

Para o conservacionista Philippe Cousteau, chinelos de praia que apareceram no Ártico da Noruega simbolizam a natureza global do problema do lixo marinho.

“Nós vimos as sandálias chegando à costa destas ilhas, no extremo norte da Noruega, próximo ao Círculo Ártico, disse Costeau, neto do famoso oceanógrafo Jacques Cousteau.

“As pessoas não usam chinelos de praia no Ártico, pelo menos se elas são sãs”, disse ele. “Acho que o mundo está começando a perceber que este é um problema global”.

O relatório detalhou a quantidade e tipo de lixo que voluntários juntaram em um único dia de 2009, ao longo das costas de seis continentes e em correntes dentro dos continentes. Também informa que cerca de 80% do lixo marinho é gerado nos continentes.

Meio milhão de voluntários

“O lixo viaja, e nenhuma praia, ou margens de lagos ou rios, ficam intocados –não importa o quão remotos”, escreveu na introdução do documento Vikki Spruill, executiva-chefe da Conservação Oceânica.

No ano passado, 10.239.538 fragmentos de lixo foram recolhidos das costas e margens em um dia, 19 de setembro de 2009. Cerca de meio milhão de voluntários contribuíram para essa limpeza anual.

O dia da limpeza previsto para 2010 é 25 de setembro.

Mais de 40% do total foi coletado nos Estados Unidos, incluindo coisas como tampas de garrafas, embalagens de latas de cerveja, pontas de cigarro, máquinas de lavar, materiais de construção, fraldas, preservativos e lixo médico.

Os Estados Unidos tinham a maioria dos voluntários, quase o triplo do número nas Filipinas, país que compôs o segundo maior total deles.

Perigo

Cerca de 20% dos itens coletados representa ameaça à saúde pública, incluindo lixo médico contaminado por bactérias, ferramentas em geral, carros e tambores químicos, informa o relatório.

Alguns dos itens também são ameaça para animais marinhos, que podem ficar presos em redes e linha de pesca jogadas fora ou ingerir lixo plástico flutuante.

Enquanto os plásticos vão se acumulando nos oceanos, se parecem muito com organismos do plâncton, que formam a base da cadeia alimentar, diz Cousteau.

“Peixes e outros animais estão ingerindo esse material e assim também as toxinas que estes plásticos absorvem”, explica. “E então adivinha que come o peixe?”

Costeau diz que esses plásticos contêm altos níveis de dioxinas, PCBs e outros compostos químicos que podem afetar os hormônios, e também impedir a ingestão de nutrientes, já que as criaturas marinhas acabam morrendo com os estômagos cheios de plásticos.

 

S.O.S RIO

Monday, April 12th, 2010

 

Milhares de pessoas estão desabrigadas ou desalojadas no Estado do Rio de Janeiro em razão das fortes chuvas dos últimos dias.

Para quem quiser ajudar financeiramente as vítimas, o banco Bradesco abriu uma conta em nome de Obra Social do Rio de Janeiro. Os depósitos podem ser feito na agência 3176-3, conta corrente 500001-7.

A Prefeitura de Niterói também informou os números de duas contas para receber doações. Os interessados podem depositar qualquer quantia na Caixa Econômica Federal, agência: 0174, Conta: 006-126/7 ou no banco Bradesco, na agência 309, conta corrente: 12.000-6.

Na capital fluminense, todas as 63 lojas da rede McDonald’s se transformam em postos de recebimento de donativos para os desabrigados. Os restaurantes da rede recebem fraldas descartáveis, produtos de limpeza e higiene pessoal, roupas de cama e de banho, cobertores e travesseiros, além de brinquedos. Não são aceitas doações de alimentos de qualquer espécie.

Para quem está na cidade do Rio de Janeiro, os locais para entrega dos donativos são: Centro Administrativo São Sebastião (sede da Prefeitura – Rua Afonso Cavalcanti, 455, Cidade Nova); sede da GM-Rio (Avenida Pedro II, nº 111, São Cristovão); base operacional da GM-Rio (Rua Bambina, nº 37, Botafogo); 4ª Inspetoria (Avenida Ayrton Senna, nº 2001, Barra); 6ª Inspetoria (Rua Armando Cruz, s/nº, Madureira); 7ª Inspetoria (Praça Barão da Taquara, nº 9, Praça Seca); 2ª Inspetoria (Rua Professor Abelardo Lobo s/n – embaixo do viaduto Saint Hilaire, na saída do Túnel Rebouças); 5ª Inspetoria (Rua Biarritz, s/n, Bangu); 8ª Inspetoria (Rua Conde de Bonfim, nº 267, Tijuca) e 13ª Inspetoria (Rua Minas de Prata, nº 200, Campo Grande).

A Secretaria Municipal de Assistência Social (SMAS), em parceria com a Cruz Vermelha, está recebendo doações durante 24 horas na Praça da Cruz Vermelha, 10, Centro. As necessidades mais urgentes são colchonetes, fraldas, alimentos não perecíveis, leite em pó e roupas de cama.

Até hoje, a Secretaria da Ordem Pública (Seop) e a Guarda Municipal já haviam recebido cinco caminhões-baú (com cerca de cinco toneladas cada) de doações para auxiliar a população desabrigada. Os donativos (como colchonetes, garrafas de água, alimentos não-perecíveis e roupas), estão sendo recolhidos nos dez pontos designados como ponto de coleta e levados para o Quartel da Guarda Municipal, em São Cristovão. As doações estão sendo distribuídas pela Secretaria Municipal de Habitação.

Nossas orações vão para todas as vítimas dessa grande tragédia.
Vamos ajudar!