Archive for November, 2009

Radio Blog Essentials Vol.1 (Experimental)

Monday, November 30th, 2009

 

O audio streaming da RADIO BLOG está no ar em caráter experimental. É só aguardar alguns segundos enquanto o audio é carregado para você curtir a nossa programação, ou se preferir, temos uma outra página alternativa para escutar a Radio Blog, basta clicar no link acima “RÁDIO”. Em breve, a RB estará definitivamente no ar juntamente com o seu site oficial, trazendo a melhor programação musical e muita informação. Será um espaço livre e democrático onde todos nós poderemos participar com idéias e sugestões. Dentro de algumas semanas estaremos informando sobre a data oficial de lançamento e os detalhes sobre o novo site da RADIO BLOG.

Mesmo estando em caráter experimental a galera já pediu  algumas favoritas. Aqui estão elas...enjoy the vibes. RADIO BLOG é o nosso canal de expressão.

 

Freemasons feat.Siedah Garret - Rain Down Love (After Hours Mix)

Little Big Bee - Searchin (Atjazz Remix)

Rae & Chritian feat. Veba -  Spellbound (Radio Blog Special Remix)

Samantha James - Angel Love

Miguel Migs - So Far

Sean Oliver - You & Me ( Miami Night's Mix)

Sabrynah Pope - Black Man (Ivan Iacobucci Vocal Remix)

Aqua Bassino - Welcome Home

Gaelle - Rain (Julinho's Blog Special Remaster)

Cold Valley - Another Day

Acension - The Bee

 

A Importância da Luz

Tuesday, November 24th, 2009

 

Muita gente já visitou o Memorial Lincoln nos Estados Unidos. Milhões de pessoas já estiveram diante daquela estrutura de mármore branco, admirando a irresistível estátua de Lincoln, obra do escultor Daniel French.

Quando a estátua foi mostrada pela primeira vez, em 1922, verificou-se que as características faciais de Lincoln estavam grosseiramente distorcidas por uma iluminação defeituosa. Mais tarde as correções foram feitas, e os visitantes puderam contemplar aquele rosto como ele verdadeiramente é.

A iluminação tem grande importância quando se deseja ver as coisas com clareza. Se encaramos a vida apenas sob a luz da competição e do conflito, essa luz pode distorcer as imagens e acabaremos não tendo uma idéia perfeita do que a vida é.

Podemos nos enganar também ao considerarmos as pessoas sob a luz do que elas fizeram para nós. Se as olharmos apenas sob esse prisma, poderemos não saber realmente quem elas são. Caricaturas grotescas podem ser mostradas quando luzes distorcidas forem usadas. Essas luzes poderão ser coloridas de acordo com o que escolhermos ver nas pessoas.

A vida que vivemos e as pessoas com quem lidamos só serão verdadeiramente conhecidas se buscarmos vê-las com a iluminação correta e sem distorções e cores erradas. A luz vem de nós, e ela é essencial para vermos o mundo ao nosso redor.

Uma ótima semana a todos

 

Alzheimer

Monday, November 16th, 2009

 

Recebi do amigo Paulinho Patto…

Meu pai está com Alzheimer. Logo ele, que durante toda vida se dizia ‘o Infalível’. Logo ele, que um dia, ao tentar me ensinar matemática, disse que as minhas orelhas eram tão grandes que batiam no teto. Logo ele que repetiu, ao longo desses 54 anos de convivência, o nome do músculo do pescoço que aprendeu quando tinha treze anos e que nunca mais esqueceu: esternocleidomastóideo.

O diagnóstico médico ainda não é conclusivo, mas, para mim, basta saber que ele esquece o meu nome, mal anda, toma líquidos de canudinho, não consegue terminar uma frase, nem controla mais suas funções fisiológicas, e tem os famosos delírios paranóicos comuns nas demências tipo Alzheimer. Aliás, fico até mais tranqüilo diante do ‘eu não sei ao certo’ dos médicos; prefiro isso ao ‘estou absolutamente certo de que….’, frase que me dá arrepios.

E o que fazer … para evitarmos essas drogas? Como ? Lendo muito, escrevendo, buscando a clareza das idéias, criando novos circuitos neurais que venham a substituir os afetados pela idade e pela vida ‘bandida’.

Meu conselho: é para vocês não serem infalíveis como o meu pobre pai; não cheguem ao topo, nunca, pois dali só há um caminho: descer. Inventem novos desafios, façam palavras cruzadas, forcem a memória, não só com drogas (não nego a sua eficácia, principalmente as nootrópicas), mas correndo atrás dos vazios e lapsos.

Eu não sossego enquanto não lembro do nome de algum velho conhecido, ou de uma localidade onde estive há trinta anos. Leiam e se empenhem em entender o que está escrito, e aprendam outra língua, mesmo aos sessenta anos.

Coloquem a palavra FELICIDADE no topo da sua lista de prioridades : ‘7’ de cada ‘10’ doentes nunca ligaram para essas ‘bobagens’ e viveram vidas medíocres e infelizes – muitos nem mesmo tinham consciência disso.

Mantenha-se interessado no mundo, nas pessoas, no futuro. Invente novas receitas, experimente (não gosta de ir para a cozinha ? hummmm… preocupante). Lute, lute sempre, por uma causa, por um ideal, pela felicidade. Parodiando Maiakovski, que disse ‘melhor morrer de vodca do que de tédio’, eu digo : melhor morrer lutando o bom combate do que ter a personalidade roubada pelo Alzheimer.

Dicas para escapar do Alzheimer :

Uma descoberta dentro da Neurociência vem revelar que o cérebro mantém a capacidade extraordinária de crescer e mudar o padrão de suas conexões. Os autores desta descoberta, Lawrence Katz e Manning Rubin (2000),revelam que NEURÓBICA, a ‘aeróbica dos neurônios’, é uma nova forma de exercício cerebral projetada para manter o cérebro ágil e saudável, criando novos e diferentes padrões de atividades dos neurônios em seu cérebro. Cerca de 80% do nosso dia-a-dia é ocupado por rotinas que, apesar de terem a vantagem de reduzir o esforço intelectual, escondem um efeito perverso; limitam o cérebro.

Para contrariar essa tendência, é necessário praticar exercícios ‘cerebrais’ que fazem as pessoas pensarem somente no que estão fazendo, concentrando-se na tarefa. O desafio da NEURÓBICA é fazer tudo aquilo que contraria as rotinas, obrigando o cérebro a um trabalho adicional. Tente fazer um teste :

- use o relógio de pulso no braço direito;
- escove os dentes com a mão contrária da de costume;
- ande pela casa de trás para frente; (vi na China o pessoal treinando isso)
- vista-se de olhos fechados;
- estimule o paladar, coma coisas diferentes;
- veja fotos de cabeça para baixo;
- veja as horas num espelho;
- faça um novo caminho para ir ao trabalho.

A proposta é mudar o comportamento rotineiro ! Tente, faça alguma coisa diferente com seu outro lado e estimule o seu cérebro. Vale a pena tentar ! Que tal começar a praticar agora, trocando o mouse de lado ? Que tal começar agora enviando esta mensagem, usando o mouse com a mão esquerda.

 

Os Muros do Nosso Tempo

Wednesday, November 11th, 2009

 

Em um dia como o de hoje, nas terras do velho continente, os olhares de todo planeta se voltavam para a festa de um povo que agora poderia se chamar de uma nação. Há vinte anos, alemães orientais e alemães ocidentais passavam a se denominar unicamente, “Alemães”. Era a queda do Muro de Berlim. O marco de concreto ruiu, mas nos dias de hoje outras barreiras continuam de pé, se erguendo, e muitas vezes não notamos (ou fingimos não notar).
O objeto da reflexão que faço, na verdade são os muros invisíveis que ainda existem. Ao longo da história, os homens vêm construindo, através de suas atitudes, vários muros e barreiras. O primeiro muro manteve Adão e Eva fora do paraíso. Um muro erguido com as pedras pecado. E o pecado é até hoje matéria prima para a construção de novos muros que se apresentam com vários nomes, como o muro do medo, da indiferença, do preconceito, da inveja, da ganância, dos interesses pessoais e outros.
Mas o pior dos muros do nosso tempo é o muro da intolerância. Seja ela racial, social, sexual, cultural, ambiental, política ou religiosa. Em um mundo onde a palavra da moda é “globalização”, é inadmissível crer que tantos muros ainda sejam levantados. Não podemos aceitar que homens sejam “cercados e isolados”, por causa da cor de pele, da opção sexual, da classe econômica, da religião ou de qualquer outro meio de preconceito.
Há também uma intolerância que os líderes das grandes nações capitalistas querem manter veladas, como a que está causando a lenta morte do nosso planeta, destruindo o meio ambiente, provocando o aumento do aquecimento global e já começando a trazer consequências, algumas catastróficas, para nosso mundo.
Existem muros que nos mesmos criamos entre nós, nas relações de trabalho, em casa, na sociedade como um todo, quando nos isolamos para pensar nas coisas e nos esquecemos de pensar nas pessoas. Esses muros que agora erguemos, tem nos afastado da presença de Deus. Se as barreiras físicas como o Muro de Berlim estão desabando, ainda temos muito que fazer para derrubar os muros invisíveis de nosso tempo.
É hora de destruirmos barreiras , e a exemplo de São Francisco que foi em busca dos sarracenos, devemos construir pontes que possam unir todos os povos, transformando a Terra em um mundo verdadeiramente cristão.
Comecemos agora mesmo a construir nossas pontes, com as pedras da caridade, do perdão, da tolerância, da fé, da solidariedade, da paz, da misericórdia, e, sobretudo, “do Amor”.

 

Por onde caminha a Humanidade?

Wednesday, November 4th, 2009

 

Ao longo da história, os povos menos favorecidos sempre lutaram por uma vida digna, numa guerra inglória contra os ‘poderosos’ que usavam o poder para ganhar vantagem. É uma luta bem antiga, desde os primórdios da humanidade!

Viajando pelo túnel do tempo, no século dezoito, quem não se lembra dos acontecimentos que antecederam a Revolução Francesa, quando um súdito palaciano disse para Maria Antonieta: – Majestade, o povo não tem pão! E ela respondeu: – Que comam brioches. De lá para cá, as coisas não mudaram muito.

A pobreza cresce em todo o mundo e a minoria rica, cada vez mais insaciável e egoísta, neste mundo globalizado, quanto mais tem, mais quer dinheiro e poder. O ser humano vive cada vez mais infeliz, acumulando coisas, fomentando as desigualdades que geram a violência e promovendo a guerra e a destruição neste mundo sem paz!

Karl Marx criou a doutrina comunista, que se revelou uma grande utopia, haja vista os países socialistas, como a União Soviética, por exemplo, que pregavam a igualdade e oportunidade para todos, mas o tempo demonstrou que houve igualdade para o povo, na pobreza, na miséria, enquanto a cúpula do governo enriquecia cada vez mais…
Por isso, o socialismo caiu, porque sempre foi uma coisa enganosa! Dizem que se Marx vivesse hoje, não seria marxista. Por outro lado, o capitalismo não vem cumprindo o que prometeu, ou seja, oportunidade para todos, no exercício da democracia! O que se vê hoje é um capitalismo selvagem e desenfreado, onde o lucro exagerado, a ganância neste mundo globalizado e individualista é o que prevalece, em detrimento dos valores morais e  humanitários!

Como é possível nos dias de hoje, com tanto progresso e evolução tecnológica, existirem povos que vivem em condições sub-humanas, passando fome e todo tipo de privações?!  E o Brasil, infelizmente, não é exceção: há poucos com muito e muitos com tão pouco. Nós, brasileiros, ouvimos há décadas que este é o país do futuro… Que futuro é esse que não chega nunca?!

De Gaulle estava certo quando disse que o Brasil não é um país sério… Ou será que tinha razão Miterrand, quando disse ser este um país surrealista?!