Archive for January, 2009

Os R$ 100,00

Friday, January 30th, 2009

 

Alfredo, com o rosto abatido de tristeza, se encontra com sua amiga Marisa para tomar um café. Deprimido, descarregou sobre ela suas angústias… Problemas com o trabalho, problemas financeiros, problemas no casamento, problemas vocacionais… Parece que tudo andava mal em sua vida.

Marisa abriu a sua bolsa, tirou uma nota de 100 reais e lhe disse:

- Alfredo
, você aceita este dinheiro?

Alfredo, um pouco confuso a princípio, imediatamente responde:

- Claro, Marisa… são 100 reais, quem não aceitaria?

Então Marisa pegou a nota de 100 reais que já estava nas mãos de Alfredo e amassou-a toda, fazendo com ela um montinho de papel. Mostrando-lhe o bolinho de papel amassado, Marisa perguntou-lhe novamente:

- E agora, ainda aceita esta nota?
- Marisa, não sei o que pretende com isto, mas continua sendo uma nota de 100 reais; é claro que a aceito…

Então Marisa desenrolou a cédula toda amassada, jogou-a no chão, pisou-a, esfregou-a com os pés e pegou-a toda suja e riscada:

- Você ainda aceita esta nota?
- Marisa, continuo sem entender o que você está querendo… Mesmo suja esta nota continua valendo 100 reais…

- Veja, Alfredo, você deve saber que mesmo quando as coisas não saiam como você deseja, mesmo que a vida lhe amasse e pisoteie, você CONTINUA sendo tão valioso como sempre o foi… O que você deve se perguntar é QUANTO você vale de fato, em qualquer circunstância.

Alfredo ficou olhando para Marisa sem nada responder enquanto o impacto da mensagem penetrava profundamente em seu coração. Marisa pôs o bilhete amassado no canto da mesa e com um sorriso cúmplice acrescentou:

- Tome, guarde com você para recordar isto quando se sentir mal… Mas me deve uma nota NOVA de 100 reais para poder usar com o próximo amigo que estiver necessitando.

Marisa beijou o rosto de Alfredo que ainda não havia pronunciado nenhuma palavra. Levantou-se e dirigiu-se em direção à porta.

Alfredo voltou a olhar para a nota de 100 reais amassada, sorriu, guardou-a na carteira e com renovada energia chamou o garçon para pedir a conta…

Quantas vezes duvidamos de nosso próprio valor, de que realmente MERECEMOS MAIS e que PODEMOS CONSEGUI-LO se no-lo propusermos! É claro que não basta um simples propósito… Precisamos AGIR para alcançar o que queremos. Eu sei que posso conseguir e que existem muitos caminhos para alcançá-lo.

Exemplo rápido:

1. Cite as cinco pessoas mais ricas do mundo.
2. Cite os cinco últimos ganhadores do prêmio Martín Fierro de Ouro.
3. Cite as cinco últimas ganhadoras do concurso Miss Universo.
4. Cite dez ganhadores do prêmio Nobel.
5. Cite os cinco últimos ganhadores do Oscar por melhor atriz ou ator.
6. Cite os últimos dez ganhadores dos campeonatos Mundiais de Tênis.

Como se saiu? Mal? Não se preocupe. O importante é saber que:

Nenhum de nós se lembra dos vitoriosos de ontem. Não há segundos lugares, eles são os melhores em sua especialidade, mas os aplausos passam! Os troféus ficam empoeirados! Os ganhadores são esquecidos!

Agora tente responder estas outras perguntas e veja como você vai se sair:

1. Cite três professores que lhe ajudaram na formação escolar.
2. Cite três amigos que lhe ajudaram em momentos difíceis.
3. Cite cinco pessoas que lhe disseram alguma coisa importante.
4. Pense em algumas pessoas que lhe ajudaram a sentir que você era uma pessoa especial.
5. Cite cinco pessoas com quem você gosta de se encontrar freqüentemente.
6. Cite três heróis cujas histórias lhe inspiraram em alguma coisa.

Que tal? Foi melhor agora? Aprendeu a lição?

As pessoas que fazem você se sentir diferente nem sempre são as que têm as melhores credenciais, as que têm mais dinheiro ou os maiores prêmios…São significativas aquelas pessoas que se preocupam com você, que cuidam de você, as que de muitas maneiras estão ao seu lado.

Pare um pouco para pensar… A vida é muito curta! VOCÊ, em que lista está? Não sabe?… Deixa-me dar-lhe uma mãozinha…Você não está entre os famosos, mas entre aqueles que recordei para enviar-lhe esta mensagem. Que tenha um bom dia!

 

Enviado pelo amigo Edu Bala…obrigado irmão.

 

A Essência Humana

Tuesday, January 27th, 2009

 

Desde pequeno eu sempre adorei padarias, o ambiente, o cheiro e, claro, os produtos que elas oferecem. Ficava hipnotizado olhando aqueles doces maravilhosos, cada um mais lindo que outro e não sabia qual escolher para provar, por muitas vezes escolhi pela beleza e fiquei decepcionado com o sabor. Assim também acontece quando se ganha um presente e ele vem todo enfeitado numa embalagem que dá até dó de abrir e quando vemos o conteúdo…ai ai que tristeza.

Com a experiência, a vivencia, aprendemos que nem tudo o que reluz é ouro e que o mais importante é o interior das pessoas, é aquilo que chamamos de ‘’alma’’, no fundo é a essência humana.

A embalagem na verdade tanto pode esconder um tesouro como também disfarçar a mais profunda decepção pois nada se iguala a nossa essência que se traduz na maneira de como sorrimos, como cumprimentamos as pessoas, como enfrentamos o problemas, como nos comportamos no dia a dia diante de ‘’n’’ situações. É essa essência que nos diferencia uns dos outros, que faz com que sejamos amados ou odiados, lembrados ou esquecidos, a bela ou a fera e depende, única e exclusivamente de nós, de como será essa essência.

Foi assistindo um vídeo de um médico realizando uma autopsia em uma mulher é que me dei conta do quão fútil é essa nossa embalagem. Fiquei imaginando com lágrimas nos olhos que se aquele corpo retomasse a vida, se levantasse sem a essência de outrora, não teria o menor sentido, seria uma desconhecida para seus familiares e amigos, seria um corpo sem alma.

Quando fazemos amor com uma pessoa, apesar de estarmos transando fisicamente com a embalagem na verdade quem nos dá prazer é a essência da outra pessoa e, talvez por isso; tirando alguns degenerados tarados; não gostamos de obrigar ninguém ao ato.

Também diferenciamos os gêmeos idênticos pela essência pois jamais serão iguais na maneira de agir, de pensar, amar, etc… e os primeiros a identificar essas diferenças são seus pais.

Um ótimo exemplo da importância da nossa essência é o programa BBB da Globo, vocês percebem que quando os participantes chegam eles são avaliados pela embalagem e com o passar do tempo vão se desmascarando e deixando à mostra a sua essência fazendo com o que o público amem alguns e repudiem outros. Por isso também sempre afirmei que não é a primeira impressão que vale pois o fundamental é o conteúdo…é a alma, a essência da vida.

 

Virus Sorrisal

Friday, January 23rd, 2009

 

Um dia destes, recebi uma mensagem muito interessante, me convidando a promover o contágio de um vírus novo. É o vírus do sorriso.

Inicialmente, devo explicar que “sorriso”, é um vírus que ataca as pessoas que não vivem de mau humor. Aliás, mau humor é o único antivírus que funciona contra essa epidemia que pretendemos espalhar. É o Morton Mau Humorantis, Mod. 2006. Não o recomendo. Deixem o vírus agir à vontade.

Uma explicação científica, para estimular a “facilitação” do contágio: “Para ficar com a cara fechada e séria, são empregados 117 nervos e músculos, ao passo que para sorrir, são empregados apenas 17.” Portanto, ao menos por economia, SORRIAM.

Em ambiente escuro, que tal um “sorriso luminoso”?

Claro, o sorriso deve brotar espontaneamente, e para tanto, recomendo sempre que a pessoa esteja em paz interior. Não brigando consigo mesmo, já é meio caminho andado para carregar o vírus sempre ativo.

Se alguém involuntariamente pisar em seu calo de estimação, procure pensar que ele não fez isso de propósito e ao invés de dizer-lhe o que pensa sobre a honorabilidade de sua progenitora, aceite um eventual pedido de desculpas. Se o pisão foi proposital, pelo menos esse imbecil ficou feliz porque conseguiu pisar em seu calo, e assim, quem sabe, será um mal humorado a menos… Com seu bom senso, pode-se dizer que você colaborou.

Uma coisa que observo nas grandes cidades, é que as pessoas não se cumprimentam, nem sequer se olham, e se alguém tenta esboçar um tímido : Como vai? Perguntam: O que você tem a ver com isso? . Não é triste isso? Se o “vírus sorrisal” for espalhado, certamente o humor dessas pessoas vai melhorar. Precisamos estudar um jeito de modificar esse comportamento, típico das grandes cidades. Parece que o progresso afeta diretamente o temperamento das pessoas, provocando essa mudança de humor.

O grande mal do momento, responsável por uma infindável série de “doenças dos tempos modernos”, é o “stress”, que é efeito colateral do antivírus acima citado, razão pela qual não recomendo seu emprego. Deixem o vírus agir à vontade. Espalhem o sorriso.

Muitos vão dizer que é impossível viver sorrindo o tempo inteiro. Claro que não. Vão pensar que é doido. Mas de vez em quando, é um exercício que pode ser feito. Principalmente o sorriso interior. Este se consegue com um pouco de paz de espírito. Não se guardando ressentimentos nem rancores. Se alguém falhou com você, lhe prejudicando, a melhor solução é “encaixar” o prejuízo, e partir para outra. Represálias só irão provocar a continuação da briga.

Quanto mais rapidamente você passar por cima, mais facilmente sairá do prejuízo. Claro que muitas vezes é muito difícil esquecer de uma mentira muito grande, mas, ficar remoendo essa raiva, além de não pagar o prejuízo, ainda pode gerar outros problemas. Raciocinemos, pois de cabeça fria as soluções aparecem mais facilmente.

O sorriso interior é facilmente reconhecido por um bom humor natural. Pela satisfação que se sente em procurar fazer o possível para não prejudicar ninguém. Muitas vezes não se pode ajudar a alguém que necessita. Mas, só o fato de não atrapalhar, já será alguma ajuda, nunca esquecendo de que muitas vezes uma palavra de consolo já muda uma situação.

O simples fato de saber que temos condição de ser útil, de que podemos servir de ajuda para alguém, já dá uma satisfação íntima que gera o sorriso interior, responsável direto pela disseminação do “vírus sorrisal”. Vamos espalhar!!

Nas cidades pequenas vive-se mais e melhor. Uma das razões é que todos conhecem todos, e se cumprimentam. Mesmo que não conheçam, sempre que alguém cruza com alguém, invariavelmente escuta-se um “Bom Dia”, “Boa Tarde”, ou “Boa Noite”. Experimentem. Não custa dinheiro. É melhor do que divã de um psicanalista…

PARTICIPEM DA CAMPANHA PARA A “ESPALHAMENTAÇÃO” DO NOVO VIRUS, começando tudo, com UM LINDO DIA…

 

Uma Mensagem Para Olhos Cegos e Ouvidos Surdos

Tuesday, January 20th, 2009

 

Caros senhores políticos. Quantos de vocês vem demonstrando ser tão caros em seus salários, no valor de suas propinas, em suas roupas de grife e belos carros. Mas, ao mesmo tempo tão pobres em suas preocupações e decisões em prol daqueles que votaram nos distintos cavalheiros, carrascos, cafajestes, calhordas, que quando vem a lhes calhar (leia-se: “se safar”), agem como excelentíssimos Calheiros…

Quantas pessoas suas atitudes já mataram este mês? Esta semana? Neste dia? Não diretamente, pois suas mãos bem cuidadas apenas embolsam verbas arrecadadas, ficando todo sangue e dor subentendidos em suas podres ações sem traços de pudor. A contabilidade das mortes pode ser calculada nas vidas perdidas pela falta de investimentos em saúde, segurança, ou mesmo por um pouco de comida.

Assassinos com função definida. Investidos como senadores. Conhecidos como deputados. Chamados de vereadores. Desfilando como prefeitos, presidentes ou ex-presidentes, quer seja do País ou do senado. Homens com títulos de governadores entre tantos outros nomes de cargos. Matando os seus patrões (pobre e esquecido povo), que são atraídos por suas mentiras e traídos pela ganância de quem se vende por milhares de dólares ou até por meros trocados. Mas a pior palhaçada é que lá em Brasília, ou ali na prefeitura da esquina, vocês ainda têm coragem de falar em decoro (nos seus discursos decorados), enquanto a população, ao invés de rir desta piada sem graça, apenas brada em coro: “Queremos um pouco de decência”, ou simplesmente: “SOCORRO!”.

Se não puderem atender a este clamor devido a sua falta de caráter, ao menos façam pelas pessoas que padecem pela falta de remédios e atendimento em hospitais, que faltam justamente por vocês terem superfaturado as verbas destinadas à saúde, comprando ambulâncias a troco de limusines. Ou então lembrem que os senhores já foram meninos e façam alguma coisa pelas inúmeras crianças que trabalham como escravas, que sofrem caladas, maltratadas e abusadas de formas tão brutais. Ao menos olhem uma vez que seja na direção delas, quem sabe a luz que brilha já tão fraca naqueles olhinhos sofridos não desperte um pouco de compaixão aos senhores de terno e gravata, que arrotaram tantas mentiras e bravatas na conquista de seu cargo atual. Silenciem o tilintar de suas taças de cristal e escutem as vozes infantis já tão fracas que imploram por ajuda social.

Saiam de suas redomas seguras e segurem nas mãos das viúvas, dos órfãos, dos pais e mães que perderam seus filhos porque uma bala de fuzil se perdeu. Talvez percebam que este manto de tranqüilidade que conforta suas noites de sono cobre apenas os seus pés, deixando milhares à mercê do medo e do abandono. Medo de sair de casa, de trabalhar, de conviver. De viver em uma nação onde súditos corações clamam por paz em meio a um reinado de guerras. Quantos já morreram nos bairros ou nas favelas, seja nas ruas e vielas, ou no ventre do próprio lar, vítimas da insegurança, pois os investimentos nunca chegam onde deveriam chegar. Ouçam além do motor de seus carros blindados, o hino dos desesperados, que sai pelas frestas das janelas lacradas com grades e cercas farpadas.

Será que é tão difícil assim? Será que é pedir demais que vocês, seres políticos, trabalhem pelo menos um pouquinho que seja para o bem desta nação? Mas, se não puderem levar o Brasil a sério, mesmo depois de todos estes apelos, gostaria apenas lembrá-los de que se não quiserem fazer isto pelos doentes, nem pelas crianças, ou pelo povo em geral. Façam isso por vocês mesmos, pois se conseguirem superar a doença da corrupção que domina suas mesquinhas ambições, quem sabe ainda consigam resgatar sua própria humanidade e junto com ela a dignidade de toda uma nação.

 

Antonio Brás Constante

 

Love Train – TSOP (Vol.4)

Friday, January 16th, 2009

 

556_i_love_philadelphia

 

The Manhattans – Kiss And Say Goodbye

Dee Dee Sharp – I’m Not In Love

Lou Rawls – You’ll Never Find Another Love Like Me

The Spinners – Rubberband Man

The Jacksons – Enjoy Yourself

Jean Carr – Free Love

Teddy Pendergrass – I Don’t Love You Anymore

Lou Rawls – See You When I Get there

The O’Jays – Use Ta Be My Girl

Teddy Pendergrass – Close The Door

MacFadden & Whithead – Ain’t No Stoppin’ Us Now

The Jones Girls – You Gonna Make Me Love Somebody Else

The Stylistics – Hurry Up This Way Again

Teddy Pendergrass – Love TKO

Leon Huff – I Ain’t Jivin’ I am Jammin’

Denice Williams – It’s Gonna Take A Miracle

Patti Labelle – If Only You Knew

 

Love Train – TSOP (Vol.3)

Tuesday, January 13th, 2009

 

311l2le

 

MFSB feat. The Three Degrees – Love Is The Message

The Spinners & Dionne Warwick – Then Came You

The Three Degrees – When Will I See You Again

Harold Melvin & The Blue Notes – Where Are All My Friends

Bunny Sigler – Picture Us

Harold Melvin & The Blue Notes – Bad Luck

The O’Jays – Give The People What They Want

Billy Paul – Billy’s Back Home

Harold Melvin & Sharon Paige – Hope That We Can Be Together Again

People’s Choice – Do It Any Way You Wanna

People’s Choice – The Big Hurt

The O’Jays – Let Me Make Love To You

Harold Melvin & The Blue Notes – Wake Up Everybody

The O’Jays – I Love Music

Harold Melvin & The Blue Notes – Don’t Leave Me This Way

Archie Bell & The Drells – Let’s Groove

The O’Jays – Living For The Weekend