Archive for August, 2008

A Missão

Sunday, August 31st, 2008

 

“Cada ser humano recebe a anunciação e, grávido de alma, leva a mão à garganta
em susto e angústia. Como se houvesse para cada um, em algum momento da vida, a
anunciação de que há uma missão a cumprir. A missão não é leve. Cada homem é
responsável pelo mundo inteiro”.
Clarice Lispector

Sabemos que, desde que o homem teve suas necessidades básicas satisfeitas,
começou a questionar os porquês: De onde vim, a que fim me destino e para onde
vou?

Neste belíssimo texto de Clarice Lispector ela nos mostra que, cada um de nós em
algum momento de nossas vidas, é surpreendido por essa anunciação, de que alguma
missão nos espera, ou nos compete. Na corrida turbulenta e apressada dos dias
modernos, nem sempre percebemos ou temos consciência de que somos grávidos de
alma, menos ainda de que possamos ter alguma missão além de suprir as
necessidades mais imediatas, próprias e da família. Muitas vezes ao darmos conta
dessa missão, imaginamos que deva ser algo dantesco, ou que apenas, uma pequena
parte da humanidade possa tomar consciência disso e dar um sentido maior à sua
vida.

Seguidamente vemos pessoas de mais idade afirmar: minha missão está cumprida,
criei e casei meus filhos, estou aposentado, nada mais me resta fazer. Será
valida essa afirmação? Em que momento recebemos o Certificado de Missão
Cumprida? Será que fomos criados e dotados de inteligência racional para que,
simplesmente em determinado momento, possamos escolher darmos por encerrada
nossa missão?

O texto acima nos lembra ainda que, cada homem é responsável pelo mundo inteiro.
Penso que cabe afirmar que temos uma missão infinitamente maior do que apenas
gerarmos filhos, educá-los e desenvolvermos uma atividade profissional. Se
pudermos observar, vamos perceber que o que faz toda a diferença é a maneira
como fazemos as coisas, e não exatamente aquilo que, por ventura possamos fazer.

Seria bastante fácil darmos conta de nossas missões, se elas fossem equações
matemáticas, onde atitude x mais y, resultaria obviamente no z. Mas não somos
seres estanques, e cada momento se apresenta de forma diferente. Ai reside o
peso de nossa missão, percebermos e armazenarmos ao longo da vida sabedoria e
conhecimento, transmitindo-os ainda que apenas verbalmente aos que adentram a
vida, para que somemos na evolução do mundo e do homem. Cabe-nos deixar algum
legado que os purifiquem, e os tornem melhores.

A sociedade atual não dá o devido valor à sabedoria dos idosos, não percebem
muitas vezes o imenso manancial de experiências que somente o tempo permite
acumular, pois o mais importante não é apenas aquilo que se sabe, mas como se
sabe

Mesmo o mais idoso com certeza, ainda não tem sua missão cumprida, pois nesta
viagem ninguém está pronto, sempre temos mais para aprender e muito para
transmitir. Nos completamos, apenas no momento em que nossos olhos se cerram
para sempre, daí sim, estamos construídos e somos referências aos que continuam.

Associamos sempre a palavra missão com compromisso; penso ser sua definição bem
mais ampla: missão é transformação, mudança. Imaginemos que uma jovem mulher
grávida pense que sua missão consiste em dar à luz seu filho. Nem podemos
imaginar as transformações que esse fato poderá gerar não apenas no seio daquela
família, mas em todo o Universo. Shidarta, Ghandi, Hitler, Mozart, Einstein, e
tantos outros foram apenas fetos em gestação no ventre de suas mães. Todo SER ao
adentrar este mundo já está promovendo transformações, por mais humilde que
possa parecer sua existência.

Enfim, somos responsáveis pelo mundo todo, numa missão que não é leve, mas que
com certeza é o que dará sentido ao ato de existir.

 

Acordar

Thursday, August 28th, 2008

 

Você sabe o que significa a palavra “acordar” ?

Vamos fazer uma brincadeira e separar em sílabas da palavra acordar: A-cor-dar. Viu? Significa dar a cor, colocar o coração em tudo que faz.

Existem pessoas que acordam às 18 horas. É isso mesmo! Pela manhã caem da cama, são jogadas da cama, mas passam o dia todo dormindo. E existem alguns, acredite, que passam a vida toda e não conseguem acordar.

Eu tive um amigo que acordou aos 54 anos de idade. Ele me disse:- “Descobri que estou na profissão errada!”. E ele já estava se aposentando…Imagine o trauma que esse amigo criou para si, para os colegas de trabalho, para a sua família! Foi infeliz durante toda sua vida profissional porque simplesmente não “acordou”.

Eu, na época, era muito jovem, mas compreendi bem o que ele estava me ensinando naquele momento.

Por mais cinzento que possa estar sendo o dia de hoje, ele tem exatamente a cor que dou a ele. Sabe por quê ? Por que a vida tem a cor que “a gente pinta”.

O engraçado é que os dias são todos exclusivos. Cada dia é um novo dia, ninguém o viveu. Ele está ali, esperando que eu e você façamos com que ele seja o melhor da nossa vida.

Os meus dias são os mais lindos da face da Terra porque eu os faço ser os mais lindos da face da Terra.

Acredite em você! O universo é o limite! Dê a você a oportunidade de “a-cor-dar” todos os dias e compartilhar com os outros o que Deus nos dá de melhor: o privilégio de ser e fazer os outros felizes.

 

Ciclos

Saturday, August 9th, 2008

 

Sempre é preciso saber quando uma etapa chega ao final.

Se insistirmos em permanecer nela mais do que o tempo necessário, perdemos a alegria e o sentido das outras etapas que precisamos viver. Encerrando ciclos, fechando portas, terminando capítulos – não importa o nome que damos, o que importa é deixar no passado os momentos da vida que já se acabaram.

Foi despedido do trabalho? Terminou uma relação? Deixou a casa dos pais? Partiu para viver em outro país? A amizade tão longamente cultivada desapareceu sem explicações? Você pode passar muito tempo se perguntando por que isso aconteceu. Pode dizer para si mesmo que não dará mais um passo enquanto não entender as razões que levaram certas coisas, que eram tão importantes e sólidas em sua vida, serem subitamente transformadas em pó. Mas tal atitude será um desgaste imenso para todos: seus pais, seu marido ou sua esposa, seus amigos, seus filhos, sua irmã, todos estarão encerrando capítulos, virando a folha, seguindo adiante, e todos sofrerão ao ver que você está parado.

Ninguém pode estar ao mesmo tempo no presente e no passado, nem mesmo quando tentamos entender as coisas que acontecem conosco. O que passou não voltará: não podemos ser eternamente meninos, adolescentes tardios, filhos que se sentem culpados ou rancorosos com os pais, amantes que revivem noite e dia uma ligação com quem já foi embora e não tem a menor intenção de voltar. As coisas passam e o melhor que fazemos é deixar que elas realmente possam ir embora. Por isso é tão importante (por mais doloroso que seja!) destruir recordações, mudar de casa, dar muitas coisas para orfanatos, vender ou doar os livros que tem.

Tudo neste mundo visível é uma manifestação do mundo invisível, do que está acontecendo em nosso coração – e o desfazer-se de certas lembranças significa também abrir espaço para que outras tomem o seu lugar. Deixar ir embora. Soltar. Desprender-se. Ninguém está jogando nesta vida com cartas marcadas, portanto, às vezes ganhamos e às vezes perdemos. Não espere que devolvam algo, não espere que reconheçam seu esforço, que descubram seu gênio, que entendam seu amor. Pare de ligar sua televisão emocional e assistir sempre ao mesmo programa, que mostra como você sofreu com determinada perda: isso o estará apenas envenenando e nada mais.

Não há nada mais perigoso que rompimentos amorosos que não são aceitos, promessas de emprego que não têm data marcada para começar, decisões que sempre são adiadas em nome do “momento ideal”. Antes de começar um capítulo novo é preciso terminar o antigo: diga a si mesmo que o que passou, jamais voltará. Lembre-se de que houve uma época em que podia viver sem aquilo, sem aquela pessoa – nada é insubstituível, um hábito não é uma necessidade.

Pode parecer óbvio, pode mesmo ser difícil, mas é muito importante. Encerrando ciclos. Não por causa do orgulho, por incapacidade, mas porque simplesmente aquilo já não se encaixa mais na sua vida. Feche a porta, mude o disco, limpe a casa, sacuda a poeira.

Deixe de ser quem era, e se transforme em quem é.