Archive for February, 2008

The iPod Essentials (Vol.14)

Friday, February 29th, 2008

 

517202789_36a9064be1_b.jpg

 

Quando você pensou que ele nunca mais fosse voltar …KABUMMMM! O iPod Essentials está de volta para a alegria geral.

O iPod Essentials chega trazendo uma salada orgânica super fresquinha. Ela foi preparada com muito amor e carinho e, como você mesmo poderá provar, usando só ingredientes de primeiríssima qualidade. Aqueles que com certeza nunca serão encontrados em nenhum supermercado, feira ou quitanda da esquina…não, não!!

Muitos convidados especiais (todos vegetarianos) fazem parte desta nova edição incluindo a maravilhosa Sara McLachlan, Marvin Gaye, Sarah Vaughan, Seal, Sting, Cheb Mami, Sven Van Hess, Nina Simone, Curtis Mayfield, Ela Fitzgerald, Miguel Migs, Loleatta Holloway entre outros.

Então é isso!!…Vamos dar início ao nosso delicioso weekend saboreando a “salada # 14″ do meu iPod. Espero que você goste dos “temperinhos”.

Aproveito para desejar um ótimo fim de semana a todos. Great vibes…enjoy the Essentials my friends!!

 

Ella Fitzgerald – Slap Bass (Miguel Migs Petalpusher Mix)

Bent & Billie Holiday- Speak Low (Bent Remix)

Adam Freeland & Sarah Vaughan – Fever (Adam Freeland Mix)

Seal – Love Divine (Deepsky Club Mix)

Curtis Mayfield – Superfly (Little Louie Vega Remix)

Miguel Migs feat. Lisa Shaw – Those Things (Scott Wozniak’s Deep New York Mix)

Sven Van Hees – The Sun Goes Down (Synesthesia Remix)

Sting & Cheb Mami – Desert Rose (Melodic Club Mix)

Solidarity – Find a Way (Jay J’s Moulton Vocal Mix)

Sarah McLachlan – Sweet Surrender ((DJ Tiesto Remix)

Nina Simone – See-Line Woman (MAW Remix)

Mfon – Rubberlegs (Julinho’s NYC Studio 54 Mix)

Marvin Gaye – Let’s Get it On (Laul Simpson & Miles Dalto Remix)

Loleatta Holloway – Love Sensation (Shep Pettibone Remix)

Bliss – Wish You Were Here (Charlie Webster Mix)

 

As Carrocinhas

Wednesday, February 27th, 2008

 

Os cães são nossos maiores amigos e o maior presente que a natureza nos deu. Eles nos amam incondicionalmente, sua fidelidade é sólida como as mais profundas fibras de suas heróicas almas (que sacrificam sem hesitação suas vidas para defender seus donos), sua alegria e seu carinho são lições que a cada dia nos ensinam a ser melhores e a viver melhor.

Quando penso sobre isso, é difícil compreender o que fizemos para merecer tamanho presente… Mas deveríamos agradecer a Deus e à natureza por ele, e mostrar permanente respeito e carinho por esses seres infinitamente alegres e amigos, e que amam tanto a vida, e que a cada dia nos ensinam a amá-la também. Porém, ao invés disso, criamos “centros de controle de zoonoses”, as malfadadas “carrocinhas”, que capturam os cães pelas ruas e os assassinam com bestial frieza!

Deveríamos parar para refletir. O que, afinal, nossa espécie está fazendo na Terra? Aonde queremos chegar?

Não nos contentamos em estar destruindo cada um dos ecossistemas do planeta, não nos contentamos em nos comportar como verdadeiros playboys mimados, que — sem qualquer consciência ou reconhecimento do fato de existirem outros seres — dilapidamos a herança que a natureza nos deu, numa verdadeira orgia de inconseqüência.

Além de tudo isso, ainda tratamos nossos melhores amigos, os cachorros, como se fossem resíduos descartáveis, não seres brilhantes e repletos de vida.

Vi outro dia na TV um cara afirmando que a hostilidade da população contra a carrocinha é devida à “ignorância”, pois a população não sabe que os cães podem “causar doenças”. Pobre criatura vaidosa. Do alto de seu pedestal, ele nem sequer cogita a hipótese de que o ignorante possa na verdade ser ele próprio. A tal “população” pode perfeitamente saber da possibilidade de um cão transmitir doenças — bem como da possibilidade de outros seres humanos transmitirem doenças — mas nem por isso precisa apoiar a idéia de que se deva sair por aí praticando extermínios.

Aquele infeliz nem percebe que seu raciocínio brota do mesmo campo de onde brotaram as maiores monstruosidades da história humana. A mente separada do coração é um mecanismo defeituoso e pervertido, que pode levar para absolutamente qualquer direção e fazer estragos sem qualquer limite. Não existe nada mais ignóbil do que a pseudo-sabedoria, que tenta mostrar a “lógica” de atos monstruosos através de argumentos “científicos”, mas sem discutir os aspectos éticos da questão.

A solução para o problema das carrocinhas, porém, não é de modo algum hostilizar os funcionários que nelas trabalham (muitos dos quais também sofrem com a matança dos animais). A solução é exigir dos políticos que a matança seja proibida por lei, e que em todo o país o extermínio seja substituído por programas de esterilização e adoção, como muitos que já existem em curso.

 

Happy Birthday…Thriller

Friday, February 22nd, 2008

 

41uid1axcql_ss400_.jpg

 

Confesso que quando escutei esta nova versão comemorativa dos 25 anos do Thriller quase pirei. O gênio está de volta com força total.

Thriller representou uma marco na história da música. É o disco mais famoso do mundo e vendeu mais de 104 milhões de cópias…and still selling my friend! Uma obra de arte daquelas que ficará para sempre marcada nos livros e registros da história.

Liguei o som e imediatamente fui transportado para uma outra época quando ainda morava em New York e produzia os supermixes para a KTU. Eu tocava muito o Michael no ar. Em 82 a KTU era o primeiro lugar de audiência e o som do Michael ecoava forte pelas ruas e avenidas. Das centenas de mixes que produzi para a rádio, mais da metade tinha algum tipo de elemento do Michael gravado.

Todos nós temos alguma história interessante para contar sobre aquela época. Bons tempos foram aqueles. Qual é a sua história? Deixe ela registrada aqui no blog.

Thriller foi uma daquelas “coisas” que uniu culturas, atravessou fronteiras e fez até guerra parar. Da China ao Brasil, do Japão ao Paquistão e até no espaço durante as órbitas do Space Shuttle, o planeta inteiro dançou no rítimo do disco. Um fenômeno musical que dificilmente será igualado.

Entre as muitas novidades do lançamento, tem o “ensaio caseiro” da música “Billie Jean” que o Michael gravou na casa dele. É muito legal poder ouvir a voz dele pedindo para o técnico de som aumentar o volume da bateria no fone de ouvido; a versão inédita do famoso rap macábro do Vincent Price; vídeos inéditos e, como não poderia faltar, uma versão instrumental de “Thriller” que é de chorar de boa.

Outras dicas incluem: os sensacionais remixes do “Wanna Be Startin’ In Something”, “Beat It” e “Billie Jeane” com Kanye West, Fergie e Akon. Ahh!!.. existem duas músicas inéditas também. Este disco não pode faltar na sua coleção. Compre já!!

Aqui está um gostoso previewHappy Birthday Thriller!!

 

Michael Jackson & Akon – Wanna Be Startin’ In Something (2008 Remix)

Michael Jackson -Billie Jean (House Demo)

Michael Jackson – Thriller (2008 Instrumental)

Michael Jackson – Someone In The Dark

Michael Jackson & Kanye West – Billie Jean (2008 Remix)

Michael Jackson & Fergie – Beat It (2008 Remix)

Michael Jackson – For All The Time

Vincent Price – (Thriller Terror Rap)

Vincent Price – Take 1

 

Larry Levan – Journey Into Paradise

Monday, February 18th, 2008

 

51jwfsxvwpl_ss500_.jpg

 

Na minha opinião, Larry Levan foi um dos maiores DJ’s que já existiu. Durante os anos 70 e 80 ele reinou nas noites do famoso Paradise Garage em New York. Larry foi um visionário que viveu muito à frente de seu tempo, um gênio que criou um estilo de mixagem inovador e, que até hoje muitos DJ’s tentam imitar mas nunca conseguiram. Pra dizer a verdade, acho que nunca conseguirão.

Felizes foram todos os pelegrinos que puderam conhecer aquele maravilhoso templo musical chamado Paradise Garage, dançar ao som das mixagens do “professor” e conhecer de perto o seu enorme talento e bom gosto musical. O cara era mesmo extraordinário!

O sistema de som do Paradise foi o melhor que já ouvi. Até hoje, com toda a nova tecnologia, nada pode se comparar. Eram os famosos “McIntosh 275 e 7300 Arrays”; uma enorme parede de amplificadores valvulados ligados em vários divisores de frequência e super caixas da JBL. Era uma coisa do outro mundo. O som fazia até as entranhas da alma vibrar. Diz a lenda que depois que o Paradise fechou em 87, o sistema de som foi todo vendido ao Ministry of Sound, mas não é verdade. Na realidade, o sistema foi instalado num outro club, o Paradise Ballroom que ficava no west da Rua 43. Infelizmente, o Ballroom não durou muito tempo e o som acabou sendo vendido em vários leilões da cidade.

As noites do Paradise Garage foram as melhores da minha vida. Foram momentos muito especiais ao lado de figuras ilustres e legendárias. Uma delas foi Frankie Knuckles que também era um grande fã do Larry. Foram noites mágicas e cheias de emoção. Muitas vezes, lágrimas de alegria escorriam pelo meu rosto e com os meus braços abertos eu dançava sem parar recebendo a “benção musical do Larry“. A energia que ele transmitia de suas pick-ups era maravilhosa. O Studio 54 foi um outro lugar muito importante também na evolução da Dance Music, mas o Paradise Garage foi épico.

Infelizmente, o Larry morreu em 92 devido a uma infecção coronária. Ele tinha apenas 38 anos de idade. Mesmo assim, jamais poderei esquecê-lo. Como poderia? Foi naquela incrível e maluca garagem subterrânea na King Street que ele revolucionou a Dance Music e onde a minha inspiração para criar programas de rádio e de um dia ser um produtor musical nasceu! Devo muito da minha carreira ao Larry. Mas acho que não sou o único. O Paradise foi o berço e uma grande escola para muitos DJ’s e produtores famosos. Entre eles: Arthur Baker, Bert Bevans, Mel Cheren (fundador da West End Records), Sharon White (a primeira DJ mulher da história), Frankie Croker e tantos outros.

Hoje, muitos anos depois, fico muito feliz de poder compartilhar com vocês uma parte desta história. Aqui está: o Larry Levan – Journey Into Paradise (Remastered)!! Um disco maravilhoso com 22 hinos imortais que o Larry produziu e mixou. É uma coletânea histórica e que poucos tiveram a chance de ouvir.

Só pra vocês terem uma idéia, demorou quase 15 anos pra mim conseguir colecionar todas estas músicas em viníl. Não foi fácil, não! Só que agora, todas elas estão aqui inteirinhas remasterizadas em som digital e todas de presente pra vocês!! Afinal, vocês merecem.

Este disco é uma obra de arte…enjoy the history and the amazing vibes my friends!

 

Change – Paradise (The Official Anthem)

Phreek – Weekend (12″ Full Version)

Chaka Khan – Clouds (Special Mix)

Patricia Rushen – Haven’t You Heard (12″ Single Version)

Positive Force – We Got The Funk (Extended Re-Edited Mix)

Gween Guthrie – It Should Had Been You (12″ Vocal Mix)

De De Bridgewater – Bad For Me (12″ Special Long Version)

Janice McClain – Smack Dab In The Middle (Garage Mix)

David Joseph – You Can’t Hide Your Love (Paradise Mix)

Man Friday – Love Honey, Love Heartache (Dance Floor Vocal Mix)

Taana Gardner – Heartbeat (Garage Vocal Extended Mix)

Peech Boys – Don’t Make Me Wait (Super Extended Paradise Remix)

Womack & Womack – Baby I’m Scare Of You (King Street Mix)

Sister Sledge – Lost In Music (Bernard Edwards/Nile Rodgers/Levan Mix)

Five Special – Why Leave Us Alone (Long Trip Version)

Trussel – Love Injection (Vocal Edit)

Lace – Can’t Play Around (Larry’s Late Night Mix)

Inner Life – Ain’t No Mountain High Enough (The Garage Version)

Change – A Lover’s Holliday (Full Garage Version)

Yaz - Situation (US 12″ Mix)

Talking Heads – Once In A Lifetime (Larry’s Version)

Donald Bird – Love Has Come Around (Classic Garage Version)

 

A Grande Festa

Saturday, February 16th, 2008

 

Tudo estava pronto para a grande festa anual dos sinais gráficos. A comissão organizadora, formada pelo cifrão ($) e pelos dois parênteses (( )) tinha decidido que os pontos finais não seriam convidados e, se viessem, não entrariam. “São muito chatos, a todo momento entram na conversa dos outros paralisando as frases, que ficam cortadas, sem sentido”, justificou o cifrão.

Durante a festa, os sinais formavam rodinhas de bate-papo. Alguns alegres, outros tristes. A arroba (@), por exemplo, era de longe a mais feliz entre os convivas. Com a Internet, estava sendo utilizada em todo o mundo. “Eu que cheguei a pensar que não mais seria usada para alguma coisa, além do preço do boi na bolsa, eis que a Internet me rejuvenesceu.”

O trema (¨), coitado, era só tristeza. Usando sua linguagem erudita, lamentava para a crase. “Estou fenecendo a cada dia solerte amiga. Poucos me utilizam. Os jornais, então, quase todos aboliram-me. E o pior. Às vezes usam-me em cima de outras letras que não o U, em palavras de línguas estrangeiras, principalmente as bárbaras européias, que não provêm do nosso saudoso latim.” A crase, que também tinha seus problemas, respondeu: “E eu, que quase ninguém sabe usar corretamente.”

A vírgula, trajando vestido roxo e longo, realçando suas formas curvilíneas, comentava com o dois pontos. “Caro colega, é impressionante como tem gente que me usa em excesso, me colocam até entre o sujeito e o verbo. Imagine você, fiquei sabendo de um leitor que ficou asmático depois de ler o livro de um escritor que me usava em profusão.”

A festa continuava. A orquestra tirava de letra as músicas, os convidados dançavam e bebiam. O ponto de exclamação (!), um dos mais esbeltos e elegantes, com seu smoking preto, perguntou à cedilha. “Parabéns por ter vindo desacompanhada do C.” Ela respondeu: “Você continua o mesmo galante de sempre e esta festa é o único lugar em que eu tenho sentido sozinha.”

De repente, na portaria do salão, veio o barulho de uma briga entre um convidado e o ponto de interrogação (?), responsável pela segurança. “Ponto final não foi convidado, não pode entrar.”, gritou o interrogação, curvando-se ao baixinho bravo. “Meu amigo, procure entender, eu não sou ponto final. Sou asterisco (*). É que tive a horrível idéia de passar gel nos cabelos.”

Um ótimo fim de semana a todos.

 

Hora da Saudade (Vol.1)

Monday, February 11th, 2008

 

A saudade sempre estará presente em nossas vidas. Por mais que a gente queira, nunca vamos afastá-la completamente de dentro de nós.

Sentimos saudade de um ente querido que já partiu dessa vida para outra dimensão; temos saudade do amigos de infância; sentimos saudade de um lugar que era especial para nós; guardamos uma eterna lembrança de alguma coisa que nos marcou profundamente; temos saudade de um amor que foi eterno enquanto durou.

A saudade nos faz sonhar acordados e ver na tela do tempo para além da imaginação e acima das aparências; faz renascer dentro de nós imagens que nem o tempo, nem o vento e nem a distância conseguem apagar.

A saudade não respeita barreiras, tem a velocidade da luz e a sensação da eternidade. Por causa da saudade muitas vezes choramos, outras vezes rimos de nós mesmos e também temos a sensação de que, muitas vezes, éramos felizes e não sabiamos.

Quando a saudade bate forte nos atira pelo alto, nos lança no palco do passado e perdemos o controle de nossa própria imaginação; e quando menos esperamos, damos de cara com lembranças que nos tomam de surpresa como o furor de um vendaval no descampado da vida.

A saudade também traz recordações de momentos felizes que passamos, e aí ela nos joga nos braços do contentamento outra vez e sentimos o que vivemos no passado valeu a pena.

Se nós não sentíssemos saudade, nosso passado seria como um livro de páginas arrancadas; nada seria acrescentado das experiências vividas em nosso presente e nem poderíamos usá-las como suporte para ajudar nossas buscas na rota do futuro.

A saudade será sempre nossa eterna companheira de viagem. A vida e a saudade caminham lado a lado. É impossível dissociá-la. Se não existisse saudade, que gosto a vida teria? A saudade abre lacunas que precisam ser preenchidas com vibrações de esperança, dose de otimismo e com o orvalho da serenidade.

Então!! Vamos nessa? A máquina no tempo já está ligada. É hora de embarcar nessa linda viagem e matar um pouco das saudades de um tempo muito especial...Lets all enjoy the good memories my friends!

 

Earth, Wind & Fire – Megamix

Michael Jackson – Rock With You (Frankie Knuckles Remix)

Saulsoul Orchestra & Loleatta Holloway – Runaway

Disco Fever Megamix – Dj Grego (MWP Special Remix)

Barbara Tucker – Stay Together (Route 66 Version)

Donald Bird – Love Come Around

Instant Funk – I’ve Got My Mind Made Up (Full Version)

Kathy Sledge – Another Star (7″ Version)

Peter Brown – They Only Come Out At Night

Thelma Houston – Don’t Leave Me This Way (Special Blog Remix)