Archive for November, 2007

Julinho's Pop Tracks Vol.2

Monday, November 26th, 2007

 

184489174_ae8035cec4_o.jpg

 

Espero que todos tenham curtido um ótimo fim de semana. Aqui, o nosso weekend foi prolongado devido ao feriadão de Thanksgiving na quinta-feira. Conclusão, todos aproveitaram para descansar a semana inteira.

Achei que seria legal da gente começar a semana trazendo uma nova edição do Julinho’s Pop Tracks.

Na realidade, o “Julinho’s Pop Tracks” nada mais é do que uma enorme coleção de grandes sucessos (e outros não tão famosos) que estão sempre presentes no meu dia-a-dia. São músicas que vão muito além daquelas tradicionais que tocava em meus programas de rádio.

O Julinho’s Pop Tracks Vol.1 foi um grande sucesso com mais de 65.00o downloads. Espero que vocês gostem desta edição também….enjoy the music!!

 

Rachael Yamagata- 1963

King Junior – A Little Less Conversation (Elvis Tribute Mix)

Keane – Bend and Break

Boozoo Bajou – Keep Going

Creedence Clearwater Revival – Through The Grapevine

Crosby, Still & Nash – Southern Cross

Maroon 5 – Sunday Morning

Dave Mathews – The Space Between

Ryan Shupe & The Rubberband – Dream Big

KT Tunstall – Suddenly I See

Scissor Sisters – Take Your Mama Out

John Mayer – Believe

 

Pra não ficar doente…

Tuesday, November 20th, 2007

 

Acho que ninguém gosta de ficar doente, não é mesmo? Por isso, resolvi publicar este artigo enviado pelo amigo Mauricio Silveira com ótimas dicas do Dr. Drauzio Varella.

É muito importante não esquecer de certos comportamentos básicos para que possamos sempre ter boa saúde e uma vida feliz. Leia com atenção.

Emoções e sentimentos que são escondidos, reprimidos, acabam em doenças como: gastrite, úlcera, dores lombares, dor na coluna. Com o tempo a repressão dos sentimentos degenera até em câncer. Então vamos desabafar, confidenciar, partilhar nossa intimidade, nossos segredos, nossos pecados. O diálogo, a fala, a palavra, é um poderoso remédio e excelente terapia.

Se não quiser adoecer – “Tome decisão”.
A pessoa indecisa permanece na dúvida, na ansiedade, na angústia. A indecisão acumula problemas, preocupações, agressões. A história humana é feita de decisões. Para decidir é preciso saber renunciar, saber perder vantagem e valores para ganhar outros. As pessoas indecisas são vítimas de doenças nervosas, gástricas e problemas de pele.

Se não quiser adoecer – “Busque soluções”.
Pessoas negativas não enxergam soluções e aumentam os problemas. Preferem a lamentação, a murmuração, o pessimismo. Melhor é acender o fósforo que lamentar a escuridão. Pequena é a abelha, mas produz o que de mais doce existe. Somos o que pensamos. O pensamento negativo gera energia negativa que se transforma em doença.

Se não quiser adoecer – “Não viva de aparências”.
Quem esconde a realidade finge, faz pose, quer sempre dar a impressão que está bem, quer mostrar-se perfeito, bonzinho etc., está acumulando toneladas de peso… uma estátua de bronze, mas com pés de barro. Nada pior para a saúde que viver de aparências e fachadas. São pessoas com muito verniz e pouca raiz. Seu destino é a farmácia, o hospital, a dor.

Se não quiser adoecer – “Aceite-se”.
A rejeição de si próprio, a ausência de auto-estima, faz com que sejamos algozes de nós mesmos. Ser eu mesmo é o núcleo de uma vida saudável. Os que não se aceitam são invejosos, ciumentos, imitadores, competitivos, destruidores. Aceitar-se, aceitar ser aceito, aceitar as críticas, é sabedoria, bom senso e terapia.

Se não quiser adoecer – “Confie”.
Quem não confia, não se comunica, não se abre, não se relaciona, não cria liames profundos, não sabe fazer amizades verdadeiras. Sem confiança, não há relacionamento. A desconfiança é falta de fé em si, nos outros e em Deus.

Se não quiser adoecer – “Não viva sempre triste”.                                                   O bom humor, a risada, o lazer, a alegria, recuperam a saúde e trazem vida longa. A pessoa alegre tem o dom de alegrar o ambiente em que vive. “O bom humor nos salva das mãos do doutor”. Alegria é saúde e terapia.

Dr. Drauzio Varella.

 

Remixes Vol.4

Thursday, November 15th, 2007

 

1480070332_e26d8f433f_b.jpg

 

Escrever é uma coisa gostosa, mas só quando existe tempo para isso. Infelizmente, o meu tempo anda bem curto e ainda não consegui escrever nada interessante. Achei então que a melhor coisa seria aposentar temporariamente o meu Word e acionar novamente o estúdio para poder curtir algumas preciosidades sonoras. É hora de aumentar o volume.

Nesta edição, estou trazendo vários remixes de sucessos que marcaram época nas pistas de dança e outras novidades. Entre as minhas favoritas estão: o remix da maravilhosa “Superfly” do Curtis Mayfield, a versão exclusiva do Albert Cabrera do “Backfire” do Masters At Work. o “Ride on The Rhythm” do Little Louie & Marc Anthony e o remix do “Love is Just a Hearbeat Away” de Eric Kupper com a sensacional Gloria Gaynor…sweeeeeeeet!!

Turn it up and enjoy the music!!!

 

Sam Ellis – Club Lonely (Eric Kupper Club Remix)

Fact 15 – Haven’t You Heard (Furreca’s Remix)

Cirque De Sole – Aborigenes Jam (François Kevorkian Vocal Remix)

Curtis Mayfield – Superfly (Little Louie Vega EOL Remix)

Gloria Gaynor – Love is Just a Heartbeat Away (Eric Kupper Club Remix)

Groove Armada – Whatever, Whatever (Terry Mulan Bongorella Dub)

Haddaway – Life (Bass Bumpers Blog Remix)

Instant Funk – Why Don’t You Think About Me (François Kevorkian Mix)

Prince – Let’s Work (Blog Dance Remix)

Little Louie & Marc Anthony – Ride on The Rhythm (Albert Cabrera Mix)

Sven Van Hees feat. Lex Empress – The Sun Goes Down (Miami Mix)

Master At Work – Backfire (Albert Cabrera’s Full Vocal Mix)

 

 

O Mendigo Feliz

Wednesday, November 7th, 2007

 

Sempre num lugar por onde passavam muitas pessoas, um mendigo sentava-se na calçada e colocava ao lado uma placa com os dizeres:

“Vejam como sou feliz! Sou um homem próspero, sei que sou bonito, sou muito importante, tenho uma bela residência, vivo confortavelmente, sou um sucesso, sou saudável e bem humorado..”

Alguns que passavam o olhavam intrigados, outros o achavam doido e outros até davam-lhe dinheiro. Todos os dias, antes de dormir, ele contava o dinheiro e notava que a cada dia a quantia era maior.

Numa bela manhã, um importante e arrojado executivo, que já o observava há algum tempo, aproximou-se e lhe disse:

- Você é muito criativo! Não gostaria de colaborar numa campanha da empresa?

- Vamos lá. Só tenho a ganhar! Respondeu o mendigo.

Após um caprichado banho e com roupas novas, foi levado para a empresa.

Daí para frente sua vida foi uma seqüência de sucessos e com o tempo ele tornou-se um dos sócios da empresa.

Numa entrevista coletiva à imprensa, ele esclareceu como conseguiu sair da mendicância para tão alta posição. Contou ele:

- Bem, houve uma época em que eu costumava me sentar nas calçadas com uma placa ao lado, que dizia:

“Sou um nada neste mundo! Ninguém me ajuda! Não tenho onde morar! Sou um homem fracassado e maltratado pela vida! Não consigo um mísero emprego que me renda alguns trocados! Mal consigo sobreviver!”

- As coisas iam de mal a pior quando, certa noite, achei um livro e nele atentei para um trecho que dizia:

“Tudo que você fala a seu respeito vai se reforçando. Por pior que esteja a sua vida, diga que tudo vai bem. Por mais que você não goste de sua aparência, afirme-se bonito. Por mais pobre que seja você, diga a si mesmo e aos outros que você é próspero..”

- Aquilo me tocou profundamente e, como nada tinha a perder, decidi trocar os dizeres da placa para:

“Vejam como sou feliz! Sou um homem próspero, sei que sou bonito, sou muito importante, tenho uma bela residência, vivo confortavelmente, sou um sucesso, sou saudável e bem humorado..”

- E a partir desse dia tudo começou a mudar, a vida me trouxe a pessoa certa para tudo que eu precisava, até que cheguei onde estou hoje. Tive apenas que entender o Poder das Palavras. O Universo sempre apoiará tudo o que dissermos, escrevermos ou pensarmos a nosso respeito e isso acabará se manifestando em nossa vida como realidade. Enquanto afirmarmos que tudo vai mal, que nossa aparência é horrível, que nossos bens materiais são ínfimos, a tendência é que as coisas fiquem piores ainda, pois o Universo as reforçará. Ele materializa em nossa vida todas as nossas crenças.

Uma repórter, ironicamente, questionou:

- O senhor está querendo dizer que algumas palavras escritas numa simples placa modificaram a sua vida?

Respondeu o homem, cheio de bom humor:

- Claro que não, minha ingênua amiga! Primeiro eu tive que acreditar nelas!!!

 

O Maior Presente

Monday, November 5th, 2007

 

O maior presente que o passar dos anos nos traz é a sabedoria e o aprendizado da vida que são um legado que recebemos de presente do tempo para nos anos vindouros usarmos da melhor forma, não nos evitará as dores, mas talvez nos ajude a sentir a dor de uma maneira menos dolorosa, não nos evitará problemas, mas quem sabe nos ajude a solucioná-los mais rápido, não nos evitará cometer erros, mas talvez a cometê-los com menos freqüência.

Com o passar dos anos o coração passa a pulsar mais lentamente, em parte por estar mais tranqüilo e suave e em parte porque desacelera o ritmo e nos permite admirar melhor o que está a passar dentro de nós e a ver através de nossos olhos, as janelas da alma, o que se passa com o mundo a nossa volta.

Funciona mais ou menos como um trem que desliza pelos trilhos de uma ferrovia, a vida é o trem e nós somos passageiros desse trem, os trilhos são os caminhos que temos a percorrer e que fazem parte de nosso destino, ao nascermos o trem sai da estação nos levando consigo e ao sair da estação vai a todo vapor e bem rápido, nós passageiros sentados nesse trem e olhamos pela janela a paisagem, mas como ele está muito veloz não somos capazes de perceber os pormenores dela, as árvores passam rápido demais e não podemos contemplá-las, as pessoas a beira da ferrovia passam rápido e não conseguimos vê-las direito e assim acontece com tudo que passa pela janela do trem.

Com o passar dos anos esse trem começa a perder velocidade e as paisagens e pessoas que passam por nossa janela estão cada vez mais visíveis e podemos perceber melhor o que se passa ao longo de nossa vida e dos trilhos desse trem.

O nosso trem da vida pode parar em algumas estações e pegar alguns passageiros para viajarem conosco e tornarem nossa viagem menos solitária, esses passageiros podem ser alguns amigos e os amores de nosso coração, mas todos algum dia irão descer em alguma outra estação antes do nosso fim da linha.

Quando o trem chega a estação final ele está bem lento e quase parando, você já viu tudo que tinha que ver ou lhe era permitido e quando descermos do trem para encontrar nosso destino derradeiro teremos a certeza que nossa missão foi cumprida e nosso coração já pode parar de bater.

O passar dos anos não nos torna mais velhos e sim menos jovens, a juventude tem a eloqüência e a disposição, as idades mais maduras tem a paciência e a sabedoria, o passar dos anos piora nossa visão, porem já aprendemos a enxergar com os olhos do coração, piora nossa memória, porém sabemos melhor o que esperar de nós mesmos, da vida e das outras pessoas.

Uma ótima semana a todos.

 

Ouça Mais, Fale Menos.

Thursday, November 1st, 2007

 

Ouvir é “fazer um esforço consciente para escutar.” É “prestar atenção” a uma outra pessoa.

Ouvir é fundamental para uma boa comunicação e parte vital do relacionamento íntimo. Inclui prestar atenção a mensagens que são enviadas através de uma variedade de meios.

Ouvir é importante porque torna a comunicação possível e esta é essencial para o desenvolvimento de relacionamentos. Assim, ouvir é algo de grande importância. Quando alguém envia mensagens sem que haja alguém para lhes dar atenção e fazer um esforço para recebê-las, a comunicação não acontece.

Há outra grande razão para que o ouvir seja tão importante: nós aprendemos quando ouvimos. Quando as pessoas deixam de ouvir umas às outras, raramente os relacionamentos se desenvolvem. Os mal-entendidos são freqüentes, o trabalho em equipe é deficiente e os erros são comuns. As pessoas podem estar tão concentradas em enviar mensagens que dedicam pouco ou nenhum tempo para ouvir as mensagens que estão sendo emitidas pelos outros. A insensibilidade em relação aos outros é freqüente e as pessoas, não raro, se distanciam emocionalmente.

Quando o ouvir é deficiente, é virtualmente impossível que as pessoas se conheçam e compreendam umas às outras. Ao contrário, elas se sentem ignoradas, como se os pensamentos que expressam não sejam importantes o bastante para que alguém lhes preste a devida atenção. As pessoas se sentem sozinhas ou isoladas. A frustração torna-se comum e cresce o nível de estresse. As pessoas querem se expressar, compartilhar suas idéias com outras. Elas querem e necessitam ser ouvidas.

Isto nos faz voltar à necessidade de atenção, o chamado respeito. Ouvir também é uma forma de cuidado, quando alguém dedica tempo para ouvir, demonstra que se importa.

Resultados do estímulo de ouvir: as pessoas se sentem importantes. A comunicação positiva aumenta. Nós aprendemos. Cresce o entendimento interpessoal. O trabalho em equipe melhora. Diminuem os erros e enganos.

“Sejam todos prontos para ouvir, tardios para falar e tardios para irar-se.” – Tiago 1.19