Archive for December, 2006

O Top 10 da Virada

Sunday, December 31st, 2006

 

Aqui está o meu “Top 10 da Virada” trazendo músicas com mensagens especiais e positivas pra ajudar a gente a entrar em 2007 com um bom ritimo nos pés e e boas energias na cabeçona.

E você? Tem algum Top 10 ? Se não tiver, crie um já e deixe registrado aqui no blog. Envie 10 músicas com mensagens bem legais e positivas e mande todas elas pro nosso server. Lá, você irá criar uma pasta com o seu nome e colocar o seu Top 10 dentro dela.

Aqui vai o endereço do server: ftp://www.julinhomazzei.com

Participe!!! Quando a lista estiver bem grande publicarei aqui no furreca para todo mundo poder curtir. Vai ser bem interessante poder ouvir todas elas e saber qual será a música com a mensagem mais bonita e positiva pra 2007.

Bom pessoal, um Feliz Ano Novo pra todos e muito juizo na virada.

HAPPY 2007!!!

 

01. Incognito – Positivity

02. Dj Grego – Papa Mix (Original Mix)

03. Harold Melvin – Wake Up Everybody

04. Marvin Gaye – Mercy, Mercy Me

05. Tata Vega e Leee John – Let There Be Love

06. Rick Astley – The Ones We Love

07. Big Mountain – Get Together

08. Kool & The Gang – Celebration

09. Change – Glow Of Love

10. Seal – Future Love Paradise

 

O Cacique Seatle

Tuesday, December 26th, 2006

 

No ano de 1854, o presidente dos Estados Unidos fez a proposta de comprar boa parte das terras de uma tribo indígena, oferecendo, em contrapartida, a concessão de uma outra área. O texto da resposta do Chefe Seatle é considerado um dos mais belos pronunciamento em defesa do meio ambiente. O escritor Matt Ridley é uma rara voz que contesta a autoria, afirmando que o texto foi escrito em 1971, pelo também norte-americano Ted Parry, para a rede de TV ABC. A dúvida não tira a força da mensagem, que vale ser lida e divulgada.

 

Carta do Cacique Seatle ao presidente dos EUA, em 1853

“Como é que se pode comprar ou vender o céu, o calor da terra? Essa idéia parece estranha. Se não possuímos o frescor do ar e o brilho da água, como é possível comprá-los?
Cada pedaço desta terra é sagrado para meu povo. Cada ramo brilhante de um pinheiro, cada punhado de areia das praias, a penumbra na floresta densa, clareira e inseto a zumbir são sagrados na memória e experiência de meu povo. A seiva que percorre o corpo das árvores carrega consigo as lembranças do homem vermelho.
Os mortos do homem branco esquecem sua terra de origem quando vão caminhar entre as estrelas. Nossos mortos jamais esquecem esta bela terra, pois ela é a mãe do homem vermelho. Somos parte da terra e ela faz parte de nós. As flores perfumadas são nossas irmãs: o cervo, o cavalo, a grande águia, são nossos irmãos. Os picos rochosos sulcos úmidos nas campinas, o calor do corpo do potro, e o homem – todos pertencem à mesma família.
Portanto, quando o Grande Chefe em Washington manda dizer que deseja comprar nossa terra, pede muito de nós. O Grande Chefe diz que nos reservará um lugar onde possamos viver satisfeitos. Ele será nosso pai e nós seremos seus filhos. Portanto, nós vamos considerar sua oferta de comprar nossa terra. Mas isso não será fácil. Esta terra é sagrada para nós.
Essa água brilhante que escorre nos riachos e rios não é apenas água, mas o sangue de nossos antepassados. Se lhes vendermos a terra, vocês devem lembrar-se de que ela é sagrada, e devem ensinar às suas crianças que ela é sagrada e que cada reflexo nas águas límpidas dos lagos fala de acontecimentos e lembranças da vida do meu povo. O murmúrio das águas é a voz de meus ancestrais.
Os rios são nossos irmãos, saciam nossa sede. Os rios carregam nossas canoas e alimenta nossas crianças. Se lhes vendermos nossa terra, vocês devem lembrar e ensinar a seus filhos que os rios são nossos irmãos, e seus também. E, portanto, vocês devem dar aos rios a bondade que dedicariam a qualquer irmão.
Sabemos que o homem branco não compreende nossos costumes. Uma porção de terra, para ele tem o mesmo significado que qualquer outra, pois é um forasteiro que vem à noite e extrai da terra aquilo de que necessita. A terra não é sua irmã, mas sua inimiga, e quando ele a conquista, prossegue seu caminho. Deixa para trás os túmulos de seus antepassados e não se incomoda. Rapta da terra aquilo que seria de seus filhos e não se importa. A sepultura de seu pai e os direitos de seus filhos são esquecidos. Trata sua mãe, a terra, e seu irmão, o céu, como coisas que possam ser compradas saqueadas, vendidas como carneiros ou enfeites coloridos. Seu apetite devorará a terra, deixando somente um deserto.
Eu não sei, nossos costumes são diferentes dos seus. A visão de suas cidades fere os olhos do homem vermelho. Talvez seja porque o homem vermelho é um selvagem e não compreenda.
Não há um lugar quieto nas cidades do homem branco. Nenhum lugar onde se possa ouvir o desabrochar de folhas na primavera ou o bater das asas de um inseto. Mas talvez seja porque eu sou um selvagem e não compreendo. O ruído parece somente insultar os ouvidos. E o que resta da vida se um homem não pode ouvir o choro solitário de uma ave ou o debate dos sapos ao redor de uma lagoa, à noite?
Eu sou um homem vermelho e não compreendo. O índio prefere o suave murmúrio do vento encrespando a face do lago, e o próprio vento, limpo por uma chuva diurna ou perfumado pelos pinheiros.
O ar é precioso para o homem vermelho, pois todas as coisas compartilham o mesmo sopro – o animal, a árvore, o homem, todos compartilham o mesmo sopro. Parece que o homem branco não sente o ar que respira. Como um homem agonizante há vários dias, é insensível ao mau cheiro. Mas se vendermos nossa terra ao homem branco, ele deve lembrar que o ar é precioso para nós, que o ar compartilha seu espírito com toda a vida que mantém. O vento que deu a nosso avô seu primeiro inspirar também recebe seu último suspiro. Se lhes vendermos nossa terra, vocês devem mantê-la intacta e sagrada, como um lugar onde até mesmo o homem branco possa ir saborear o vento açucarado pelas flores dos prados.
Portanto, vamos meditar sobre sua oferta de comprar nossa terra. Se decidirmos aceitar, imporei uma condição: o homem branco deve tratar os animais desta terra como seus irmãos.
Sou um selvagem e não compreendo qualquer outra forma de agir. Vi um milhar de búfalos apodrecendo na planície, abandonados pelo homem branco que os alvejou de um trem ao passar. Eu sou um selvagem e não compreendo como é que o fumegante cavalo de ferro pode ser mais importante que o búfalo, que sacrificamos somente para permanecer vivos.
O que é o homem sem os animais? Se todos os animais se fossem, o homem morreria de uma grande solidão de espírito. Poio que ocorre com os animais breve acontece com o homem. Há uma ligação em tudo.
Vocês devem ensinar às suas crianças que o solo a seus pés é a cinza de nossos avós. Para que respeitem a terra, digam a seus filhos que ela foi enriquecida com as vidas de nosso povo. Ensinem às suas crianças o que ensinamos às nossas, que a terra é nossa mãe. Tudo o que acontecer à terra, acontecerá aos filhos da terra. Os homens cospem no solo, estão cuspindo em si mesmos.
Isto sabemos: a terra não pertence ao homem; o homem pertence à terra. Isto sabemos: todas as coisas estão ligadas como o sangue que une uma família. Há uma ligação em tudo.
O que ocorrer com a terra recairá sobre os filhos da terra. O homem não tramou o tecido da vida; ele é simplesmente um de seus fios. Tudo o que fizer ao tecido, fará a si mesmo. Mesmo o homem branco, cujo Deus caminha e fala com ele de amigo para amigo, não pode estar isento do destino comum. É possível que sejamos irmãos, apesar de tudo. Veremos. De uma coisa estamos certos – e o homem branco poderá vir a descobrir um dia; nosso Deus é o mesmo Deus. Vocês podem pensar que O possuem, como desejam possuir nossa terra; mas não é possível. Ele é o Deus do homem, e Sua compaixão é igual para o homem vermelho e para o homem branco. A terra lhe é preciosa, e feri-la é desprezar seu criador. Os brancos também passarão; talvez mais cedo que todas as outras tribos. Contaminem suas camas, e uma noite serão sufocados pelos próprios dejetos.
Mas quando de sua desaparição, vocês brilharão intensamente. Iluminados pela força do Deus que os trouxe a esta terra e por alguma razão especial lhes deu o domínio sobre a terra e sobre o homem vermelho. Esse destino é um mistério para nós, pois não compreendemos que todos os búfalos sejam exterminados, os cavalos bravios sejam todos domados, os recantos secretos da floresta densa impregnados do cheiro de muitos homens e a visão dos morros obstruída por fios que falam. Onde está o arvoredo? Desapareceu. Onde está a águia? Desapareceu. É o final da vida e o início da sobrevivência.”

 

O Adeus de James

Monday, December 25th, 2006

 

27051856.jpg

James Brown

3 de Maio 1933 – 25 de Dezembro 2006

 

Jesus e o Papai Noel

Friday, December 22nd, 2006

 

Papai Noel mora no Polo Norte…
Jesus, em todo lugar.

Papai Noel anda num trenó…
Jesus voa no vento e anda sobre as águas.

Papai Noel vem somente uma vez ao ano.
Jesus está sempre presente.

Papai Noel enche nossas meias com presentes…
Jesus supre todas as nossas necessidades.

Papai Noel desce pela chaminé sem ser convidado…
Jesus fica na nossa porta, bate e entra em nosso coração.

Nós temos que esperar numa fila para ver Papai Noel…
Jesus já está próximo quando se menciona Seu nome.

Papai Noel nos deixa sentar no seu colo…
Jesus nos deixa descansar em Seus braços.

Papai Noel não sabe nosso nome,
tudo o que ele pode dizer é:
“Olá garotinho ou garotinha, qual é o seu nome”?…
Jesus sabia nosso nome antes mesmo de nós o sabermos.
Ele sabe não só o nosso nome,
Ele conhece nossa história e futuro e ainda
Conhece nosso coração e
quantos fios de cabelo temos em nossa cabeça.

Papai Noel tem uma barriga que balança como gelatina…
Jesus tem um coração cheio de amor, graças,
misericórdia e perdão.

Tudo que Papai Noel pode oferecer é:”HO, HO, HO”…
Jesus diz: “Deixe que eu resolvo seus problemas”.

Os ajudantes de Papai Noel fazem brinquedos…
Jesus faz vida nova, consola nosso coração aflito,
repara lares destruídos e constrói esperanças.

Papai Noel pode fazer-nos um agrado mas…
Jesus nos dá alegria com Sua força.

Enquanto Papai Noel coloca presentes sob nossa árvore…
Jesus tornou-se nosso presente e
morreu na cruz por todos nós.

É claro que não há comparações.
Nós devemos lembrar “Quem é” o Natal, na verdade.

Devemos recolocar Cristo no Natal,
Jesus ainda é a razão da comemoração.

Jesus é o melhor,
Ele é melhor até mesmo que Papai Noel.

Feliz Natal!!!

 

Two for Tuesday

Tuesday, December 19th, 2006

 

Já é uma grande tradição no rádio americano. O “Two for Tuesday” é quando as rádios tocam (várias vezes ao dia) duas músicas do mesmo artísta…mas é só às terças…é bem divertido.

Seguindo as tradições do rádio, quero deixar registrado aqui o meu humilde “Two for Tuesday” de hoje.

Duas músicas que batem fundo no meu coração e que representam uma época muito especial quando as pistas eram lotadas e o rádio tocava sem parar.

 

Shalamar – I Can Make You Feel Good

Shalamar – I Owe You One

 

Trilhas do dia

Monday, December 18th, 2006

 

O Sol finalmente apareceu por aqui. Já fazia duas semanas que ele havia nos abandonado. Acordei com ele na janela. Depois daquela tradicional pedalada matinal e um rápido mergulho no mar, estou de volta para deixar registrado aqui no furreca algumas das músicas que fizeram parte da trilha sonora desse meu Domingão…enjoy.

Desejo a todos uma semana cheia de boas energias e muito alto astral.

 

Kenny Burke – Risin’ to the Top

Icehouse – Crazy (Dub Version)

Incognito – Positivity